TELEVISÃO BRASILEIRA: UMA HISTÓRIA DE 60 ANOS COM INTERATIVIDADE

Please download to get full document.

View again

of 10
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Categories
Published
TELEVISÃO BRASILEIRA: UMA HISTÓRIA DE 60 ANOS COM INTERATIVIDADE
  TELEVISÃO BRASILEIRA: UMA HISTÓRIA DE 60 ANOS COM INTERATIVIDADE Felipe Augusto Stefani, graduando de jornalismo do Centro Universitário Univates. Resumo:  Este artigo trata a história da televisão brasileira, desde sua ria!ão em "#$% at& os dias atuais, onde a televisão enarra um modelo de interatividade ompletamente do 'ue se onheia. ( artigo baseia)se em obras de autores e pes'uisadores da área de omunia!ão soial e de história, e*pondo as fases evolutivas 'ue a televisão passou e relata as prinipais problematias sofridas ao longo dos +% anos. ostraremos tamb&m a grande evolu!ão t&nia 'ue a - digital trou*e para os telespetadores e mudou o oneito de interatividade. Palavas!"#ave:  -elevisão, - digital, interatividade/ INTRODU$ÃO  Atualmente o telespetador veem e*igindo ada ve0 mais 'ualidade de som e imagem nas transmiss1es de televisão. 2á +% anos atrás, surgia as primeiras transmiss1es em preto e brano e era restrita para as lasses soiais mais altas. 3e aordo om dados do 456E de 7%%8, #9: dos domi;lios brasileiros possu;am aparelhos de -. Estamos passando por uma transi!ão muito importante na 'ual se refere a uma tenologia 'ue perdurava desde a inven!ão da transmissão, o sinal analógio. At& 7%"+ todas as emissoras terão 'ue enviar seu sinal em odifia!ão digital. Essa mudan!a terá um impato muito importante tanto para as pessoas 'ue onsomem televisão, 'uanto para os profissionais 'ue atua nesse ramo. uitas empresas prestadoras de servi!os de transmissão ainda não transformaram seu sistema, de analógio para digital. Apesar de muitas emissoras já se ade'uarem as novas mudan!as, trabalhando om tenologia  2igh 3efiniion <23-=, essas prestadoras não suportam essa tenologia, o 'ue aaba levando a onversão desse sinal digital das emissoras em analógio para poder distribu;)lo as pessoas em asa.-rataremos neste artigo a evolu!ão da imagem preto e brano para a era digital na televisão brasileira. illela <7%%>= ita 'ue a ra0ão da televisão e*istir está na imagem. Caso ontrário tudo isso seria apenas uma transmissão de rádio. Este artigo tamb&m tem omo objetivo ontar omo a televisão no 5rasil iniiou e evoluiu at& a hegada da - digital. 4lustrar momentos marantes dessa história oneituando algumas teorias de attos <7%"%= e illela <7%%>= e uma breve análise do 'ue está por vir omo por e*emplo a transmissão em 9?. A evolu!ão da televisão brasileira tem tamanha import@nia não só nas 'uest1es t&nias 'ue envolvem a transmissão, mas tamb&m as maneiras de omo a soiedade evoluiu junto om ela. A publiidade teve um papel muito signifiativo na evolu!ão da -. 2oje em dia podemos falar 'ue sem publiidade não haveria programas de -.( embasamento teório será oletado atrav&s da leitura de livros 'ue disutam as 'uest1es da ria!ão da televisão no 5rasil em "#$% e sobre as novas tenologias 'ue estão sendo utili0ados, al&m de artigos ient;fios e sites espeiali0ados. A TELEVISÃO BRASILEIRA  Assis Chateaubriand inaugurou a primeira emissora de televisão do 5rasil, a - -upi)3ifusora foi fundada em "> de setembro de "#$% na idade de São aulo. 3iferentemente da - ameriana 'ue onstruiu sua trajetória apoiada na indBstria inematográfia, a - brasileira teve 'ue se apoiar nas emissoras de rádio, tanto teniamente 'uanto na mão de obra e formato, 'ue abrangiam todos os estados do pa;s <attos, 7%"%=. Chateaubriand importou era de % toneladas de e'uipamentos dos Estados Unidos no valor de UDD $ milh1es. Sendo 'ue as primeiras transmiss1es aonteeram no alto do 5ano do Estado de São aulo e no pr&dio da emissora pelo anal . Al&m de ser a primeira emissora brasileira, a - -upi tornava o 5rasil o primeiro pa;s da Am&ria do Sul e o 'uarto do  mundo a ter uma programa!ão diária.Sendo pioneira, a - -upi teve várias difiuldades no in;io para implementar um modelo 'ue não fosse igual ao de rádio. outores passaram a ser apresentadores, e as pessoas 'ue fa0iam rádio aabaram migrando para a área da televisão.Conforme attos <7%"%= podemos lassifiar a evolu!ão da televisão brasileira em 9 momentos. A fase elitista <"#$%)"#+9=/ a fase populista <"#+9)"#8$=/ a fase do desenvolvimento tenológio <"#8$)"#>$= e a fase da transi!ão e da e*pansão internaional <"#>$)"##%=. %ASE ELITISTA &'()0!'(6*+  A inaugura!ão da primeira emissora de - no 5rasil teve uma grande reperussão na m;dia impressa da &poa. 3e aordo om alguns jornais, a televisão foi onsiderada um novo e poderoso instrumentoG. Um pouo antes da inaugura!ão, de aordo om 6eorges 2enrH, o t&nio ameriano Ialther (bermJller, responsável pela instala!ão do e'uipamento, desobriu 'ue não havia nenhum aparelho de - na idade de São aulo para reeber as primeiras imagens. 4nformado da situa!ão, Assis Chateaubriand ordenou 'ue fossem importadas 7%% aparelhos. ara diminuir o tempo de entrega devido a buroraia Chateaubriand ordenou 'ue esses aparelhos fossem ontrabandeados. 3esta forma a - -upi instalou alguns televisores em lojas, bares e no saguão dos 3iários Assoiados, onde entenas de pessoas reuniram)se esperando para ver a novidade. Kuatro meses após a inaugura!ão Chateaubriand inaugurou a na idade do Lio de Maneiro a - -upi LioG nos mesmos moldes da emissora de São aulo, utili0ando a estrutura de rádio já e*istente.(s aparelhos de - eram produtos somente para a elite eonNmia brasileira, pois uma televisão ustava na &poa o valor de trOs dos melhores rádios. ( pre!o de um televisor hega a trOs ve0es mais 'ue o da mais sofistiada radiola da &poa, pouo menos 'ue um arro onforme attos <"#>7 apud attos, 7%"%=.elo ano de "#+$ o valor de um televisor portátil era de UDD 7%%, esse foi um dos prinipais fatores 'ue impediram a difusão da televisão no seu  in;io.(utro fator importante na &poa e ontinua sendo at& hoje são os patro;nios. 3esta forma, em "#$7, surgiu o mais famoso telejornal brasileiro, o Lepórter EssoG. ( Lepórter Esso foi ao ar pela primeira ve0 no dia "P de abril de "#$7, permaneendo no ar at& " de de0embro de "#8%, onforme attos <7%"%= neste per;odo os anuniantes dei*avam de patroinar um programa espe;fio para omprar espa!os entre os programas. %ASE POPULISTA &'(6* , '(-)+ Com as deis1es pol;tias e a ensura ideológia pós +9, fi0eram om 'ue os programas loais bai*assem muito o n;vel de 'ualidade e passaram a ser popular. Alguns hegando perto do groteso <attos 7%"%= ( golpe de "#+9 afetou os meios de omunia!ão de massa diretamente por'ue o sistema pol;tio e a situa!ão sóio)eonNnomia do pa;s foram totalmente modifiados pela defini!ão de um modelo eonNmio para o desenvolvimento naional. ( resimento eonNmio do a;s foi entrado na rápida industriali0a!ão, baseada em tenologia importada e apital e*terno, en'uanto os ve;ulos de omunia!ão de massa, prinipalmente a televisão, passaram a e*erer o papel de difusores da produ!ão de bens duráveis e não)duráveis.G <A--(S, 7%"%, p.#$= attos <7%"%= lembra 'ue os esfor!os reali0ados pelo 5rasil para atrair invers1es privadas estrangeiras só ontribu;ram para aumentar a d;vida e*terna do pa;s e dei*á)lo mais dependente da tenologia estrangeira. 3urante o per;odo do governo militar <"#+9 Q "#>$= o estado e*ereu papel deisivo para o desenvolvimento e regulamenta!ão dos meios de massa e nos meios de transmissão. Foram instaladas as esta!1es terrestres de sat&lites e implantando as linhas de miro)ondas, favoreendo para 'ue se tivesse uma 'ualidade de transmissão muito boa em todo território naional.Em "#+8 foi riado o inist&rio das Comunia!1es, 'ue possibilitou a importantes mudan!as estruturais. Uma delas a ria!ão de lei 'ue estabeleia  novas normas para o e*er;io das oness1es de anais de radiodifusão. -amb&m estabeleia 'ue pessoas jur;dias ou estrangeiras não poderiam partiipar da soiedade ou dirigir 'ual'uer empresa de radiodifusãoG <attos, 7%"%=.Segundo 5istane <7%%+= a imagem & uma representa!ão do realG. Ao transmiti)la, a televisão transforma o telespetador em testemunha. Assim dava)se in;io a interatividade.attos lassifia o per;odo de "#+9 a "#8$ omo R segunda etapa do desenvolvimento da televisão brasileira. Carateri0a)se omo sendo a fase em 'ue esta, dei*ando de lado o lima de improvisa!ão dos anos de "#$%, adota os padr1es de administra!ão norte)amerianos e torna)se ada ve0 mais profissional. A implanta!ão, na primeira metade da d&ada de "#8%, de um es'uema empresarial industrial melhor estruturado, failitou o surgimento do grandes ;dolos, adorados por milhares de telespetadores.G <A--(S, 7%"%, p.##=  A opa do mundo de "#8% foi a primeira a ser transmitida ao vivo e a ores, mas as tvs ainda eram preto e brano. Só em "#87, na festa da Uva, em Ca*ias do Sul, 'ue foi ofiialmente feita a transmissão a ores pela - 3ifusora de orto Alegre. or muito tempo ainda ouve uma mesla entre preto e brano e olorido nas transmiss1es.-ourinho <7%%#= lembra 'ue antes da festa da Uva, já havia oorrido no 5rasil e*periOnias em transmissão em ores. ( Mornal aional por e*emplo só passou a e*ibir suas reportagens em ores a partir de "#8. DESENVOLVIMENTO TECNOLÓ.ICO &'(-) , '(/)+ esta fase, o resimento da televisão brasileira pode ser medido atrav&s do nBmero de residOnias no pa;s e'uipadas om reeptores de televisão. ( enso naional de "#>% onstatou 'ue $$: de um total de 7+,9 milh1es de residOnias já estavam e'uipadas om aparelhos de -. ( resimento do nBmero de residOnias om aparelhos de - entre "#+% e "#>% foi de ".787:. Este dado tornam)se ainda mais e*pressivos 'uando se sabe
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks