Home Log In Sign Up EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA: ANALISANDO UM CAMPO DE SOCIABILIDADES E EXPRESSÕES POLÍTICAS EM UM PROJETO SOCIAL

Please download to get full document.

View again

of 4
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Categories
Published
Home Log In Sign Up EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA: ANALISANDO UM CAMPO DE SOCIABILIDADES E EXPRESSÕES POLÍTICAS EM UM PROJETO SOCIAL
  14/7/2014EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA: ANALISANDO UM CAMPO DE SOCIABILIDADES E EXPRESSÕES POLÍTICAS EM UM PROJETO …http://www.academia.edu/3137906/EDUCACAO_AMBIENTAL_E_CIDADANIA_ANALISANDO_UM_CAMPO_DE_SOCIABILIDADES_E_EXPRESSOES_…1/4 HomeLog InSign Up EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA: ANALISANDO UM CAMPO DE SOCIABILIDADESE EXPRESSÕES POLÍTICAS EM UM PROJETO SOCIAL by Sérgio Botton Barcellos more   01/04/13[Artigo]-Educação Ambientalem Ação www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1454&class=021/5 ISSN1678-0701 Número 43 ,Ano XI .Março-Maio/2013. Númerosanteriores  ... Início | Cadastre-se! | Procurar |Apresentação|Artigos|DicaseCuriosidades|Reflexão|Textosdesensibilização|Dinâmicas|Entrevistas|Arteeambiente|DivulgaçãodeEventos|Oquefazerparamelhoraromeioambiente|Sugestõesbibliográficas|Educação|Vocêsabiaque...|ContribuiçõesdeConvidados/as|TrabalhosEnviados|BrevesComunicações|NormasdePublicação|PráticasdeEducaçãoAmbiental|Colaboradoresantigos  Artigos 13/03/2013 EDUCAÇÃOAMBIENTALECIDADANIA:ANALISANDOUMCAMPODESOCIABILIDADESEEXPRESSÕESPOLÍTICASEMUMPROJETOSOCIAL Esseartigotemcomoobjetivoanalisaroslimiteseaspossibilidadesdaatuaçãosociopolíticadeprojetoscomcunhosocialemumcontextodepobrezaemanifestaçãodediversasformasdeexclusãosocial,apartirdeumestudodecasorealizadoemumacomunidadelocalizadanomunicípiodeSantaMarianoestadodoRioGrandedoSul(RS). EDUCAÇÃOAMBIENTALECIDADANIA:ANALISANDOUMCAMPODESOCIABILIDADESEEXPRESSÕESPOLÍTICASEMUMPROJETOSOCIAL SérgioBottonBarcellos-MestreemCiênciasSociaisdoDesenvolvimento,AgriculturaeSociedade-CPDA/UFRRJ.EspecialistaemEducaçãoAmbiental-UFSM.DoutorandoemCiênciasSociaisdoDesenvolvimento,AgriculturaeSociedade-CPDA/UFRRJ.E-mail:sergiobbarcellos@hotmail.com.  HolgonsiSoaresGonçalvesSiqueira-DoutoremEducação-UFSM.ProfessorAssociadodoCursodeCiênciasSociais-UFSM,doMestradoemCiênciasSociais-UFSMedoMestradoemArtes-UFSM.LíderdoGrupodePesquisaCNPq"GlobalizaçãoeCidadaniaemPerspectivaInterdisciplinar".E-mail:holgonsi@yahoo.com.br RESUMO Esseartigotemcomoobjetivoanalisaroslimiteseaspossibilidadesdaatuaçãosociopolíticadeprojetoscomcunhosocialemumcontextodepobrezaemanifestaçãodediversasformasdeexclusãosocial,apartirdeumestudodecasorealizadoemumacomunidadelocalizadanomunicípiodeSantaMarianoestadodoRioGrandedoSul(RS).Essapesquisaaconteceujuntoaoprojetosocial“EducaçãoAmbientalnaVilaKennedy”,promovidopelaOrganizaçãoNão-Governamental(ONG)-CentroMultidisciplinardePesquisaeAção-CEMPA,quefoidesenvolvidonacomunidadedaVilaKennedy,emSantaMaria,duranteoanode2007.Buscaremoselucidardequemodooprojetoinfluencioupormeiodesuasaçõeseducativas,associabilidadeseasformasdeexpressãopolíticanacomunidadeemqueatuou.Tendoporbaseaobservaçãoparticipante,anotaçõesdecampoearealizaçãodeentrevistassemi-estruturadascomintegrantesdacomunidadeedoprojetosocial,nossaanáliseconsideraasinfluênciasetensõesqueasaçõesdesseprojetopossamtergeradonocamposocialdessacomunidadenotocanteàsquestõespolíticas,socioambientaisedecidadania.Apartirdessapesquisafoipossíveldesvelarmospossíveisindicadoresdequaislimitaçõeseperspectivassociopolíticasqueprojetossociaisrealizadosjuntoacomunidades,emespecialcomatemáticadaeducaçãoambiental,podemapresentarnodecorrerdasuadinâmicasocial.Esseestudoaindaconsideraesteprojetoparaalémdoespaçocomunitárioemquestão,noqualobservamossuaspossíveisinterfacescomodesenvolvimentosocialepolíticoemcomunidadesdeperiferiasurbanas. Palavras-chave: projetossociais;educaçãoambiental;atuaçãosociopolítica;cidadania.  1.  OPROJETO:CONTEXTUALIZANDOAAÇÃO Projetossociais,comdiferentestemáticaseintencionalidades,sãodesenvolvidoscotidianamente,eemmaiornúmero,porinstituiçõesgovernamentaisenão-governamentaisemdiversascomunidadesde“riscosocial”nascidadesbrasileiras.UmadastemáticasmaisabordadasnestesprojetostemsidoaEducaçãoAmbientaljuntoacomunidades,escolasegruposdemoradores.ApartirdeexperiênciasereflexõesvivenciadasnaUniversidadeFederaldeSantaMaria(UFSM),pormeiodeprojetosdeextensãoeiniciativasestudantis,em2005iniciaram-seosprimeiroscontatoscomaUnidadedeSaúdedaVilaKennedy(USK)pormeiodoProjetoVER-SUSBrasil.AvilaintegraoBairroSalgadoFilho,zonanortedomunicípiodeSantaMaria.OComitêSanta-mariensedeCombateaFomeeaMiséria,criadoem2003,realizouumlevantamentodosbolsõesdepobreza,reconhecendovilas,comoBrasília,NossaSenhoradoTrabalhoeSãoRafael,quesãoassistidaspelaUnidadedeSaúdedaVilaKennedy,comozonasemsituaçãodemiséria(áreasderisco)nomunicípio.JáoVERSUS-Brasil(EstágioseVivênciasnaRealidadedoSistemaúnicodeSaúde).IniciativavinculadaaoMinistériodaSaúdequevisavatrabalharcomformaçãopolíticaesocialdeestudantesdosmaisdiversoscursosdegraduaçãodaáreadesaúde.Pormeiodesteacomunidade,emespecialostrabalhadoresemsaúdedaUSK,reivindicarammaisparticipaçãodosestudantesuniversitáriosemaçõesdeassistênciaeextensãonalocalidade.Iniciaram-seassimdebatesereflexões,emumgrupodeestudantesdaUFSM,gerando-seaidéiadeumprojeto,eaperspectivadedesenvolvimentodemaisumainiciativacomunitárianocampodasaúdeemeio-ambiente.Comopontoinicialdoprojeto,decidiu-serealizarreuniõesdeplanejamentoediscussãodasmetasdestecomoProgramadeAgentesComunitáriasdeSaúde(PACS)daUSKecomunidade,comperiodicidademensal.Nesseespaçodeencontroedebates,dialogou-sesobrepossíveisdemandasquesurgiriam,sendoestasinerentesaspropostasdeprojetoqueforamsendotraçadas.Optou-seentão,pelodesenvolvimentodeumprocessodemobilizaçãocomaparceriadeestudantesdaUFSM,PACS,comunidadeeescolas.Arealizaçãodeumplanejamentoparticipativodefiniuosrumoseosobjetivosdoprojeto,oportunizandoumprocessodedefinição     01/04/13[Artigo]-Educação Ambientalem Ação doscaminhosaseremtrilhados,processooriundodeumareflexãocoletivadarealidade.Sendoassim,diversasreuniõesdeplanejamentovisandoàrealizaçãodeaçõesemEducaçãoAmbientalnacomunidadedaVilaKennedy.Asreuniõesiniciaiscontextualizaramacomunidadeacercadoprojeto“EducaçãoAmbientalnaKennedy”,bemcomo,sobreohistórico,objetivoseprincípiosdainiciativa.Daíanecessidadedeprocurarabrangerecompreenderdiversasformasdeconhecimentoeinteraçãodeatores,convergindoedebatendo,buscandoaçõeseresoluçõescomobjetivosemcomum.Issopossibilitouumvalordiferenciadoàexperiência,sendoqueoprocessodesensibilizaçãoocorreucotidianamenteenãopontualmente.E,comestasatividades,nossapesquisatevecomoobjetivocentral,analisaroslimiteseaspossibilidadesquepermeiamarelaçãoeducaçãoambientalecidadania.Assim,procuramoselucidarquaisoslimiteseaspossibilidadesdaatuaçãosociopolíticadeprojetoscomcunhosocialemumcontextodepobrezaemanifestaçãodediversasformasdeexclusãosocial,pormeiodeaçõeseducativasinterdisciplinaresedoestímuloacidadania.Tendoporbaseaobservaçãoparticipante,relatosearealizaçãodeentrevistassemi-estruturadascomintegrantesdacomunidadeedoprojetosocial,nossaanáliselevaemconsideraçãoainfluênciaqueasaçõesemeducaçãoambientalpossamtersrcinadonasvidascotidianasdaspessoasenvolvidasedequeformapromoveramoexercíciodacidadanianacomunidade.Asseguintesquestões:a)ampliaçãodoentendimentodacomunidadesobreotemasocioambiental;b)possibilidadeselimitesqueaçõessociopolíticastiveramnoprojetoemeducaçãoambientalec)percepçãodaspessoasemudançascotidianasnacomunidade,nosoportunizaramdesvelarpossíveisindicadorescotidianosdelimitaçõeseperspectivasqueprojetossociaisemeducaçãoambiental,realizadosemcomunidadesurbanasemprocessodepobrezaeexclusãosocial,podemapresentarnodecorrerdeseuprocesso. 2.EDUCAÇÃOAMBIENTALEOCOTIDIANOCOMUNITÁRIO Asatividadesdesenvolvidasjuntoàcomunidade,porpartedoprojeto,buscaramdespertarnosenvolvidosformasdepensareagiriiiiiii-i,iii.- Search People, Research Interests and Universities  Download  _Artigo__-_Educacao… 442 KB www.revistaea.org/a… revistaea.org 45  14/7/2014EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA: ANALISANDO UM CAMPO DE SOCIABILIDADES E EXPRESSÕES POLÍTICAS EM UM PROJETO …http://www.academia.edu/3137906/EDUCACAO_AMBIENTAL_E_CIDADANIA_ANALISANDO_UM_CAMPO_DE_SOCIABILIDADES_E_EXPRESSOES_…2/4 www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1454&class=022/5sobreomeioambientecomunitrioqueimpicassemnainter-reaçãoetemascomopotica,organizaçãosociaeecoogia.meou-sedesenvolverumapráticadeeducaçãoambientalvoltadaamobilizaracomunidade,comoagentesdesensibilização/instigaçãodaspessoasemrelaçãoaosproblemassocioambientaisdalocalidade.Otermo“socioambientais”aquenosreferimosnestetrabalho,seriarelativoàsformasdeproduçãoereproduçãosocial,econômica,políticaeculturaldasociedadeemrelaçãoaosecossistemasebiomas.Dessemodo,paraapreensãodeumaeducaçãoeconcepçãodemundoapartirdacomplexidadeambiental,segundoLeff(2003),torna-senecessárioodesencadeamentodeumprocessodedesconstruçãoereconstruçãodopensamento;dedescobrirereavivaro“serdacomplexidade”quefoiesquecidocomosurgimentodacisãoentreoser,osujeitoeoobjeto.Nessesentido,compreenderaeducaçãocomoumprocessosocialemconstruçãoedisputa,eoatoeducativodeformainterdisciplinar,possibilitaseavançarnacríticaeemumaatuaçãomaisconscientenasestruturassociaisepolíticas(Loureiro,2004).NocasodoProjetoanalisado,suametodologiafoiconstruídadurantearealizaçãodaexperiênciaeassimconsolidou-sedia-a-dia.Dessaformaquandoplaneja-seaçõescomperspectivasdeefetividade,participaçãoeenvolvimentoéimprescindívelconsideraropiniõesdosmaisdiversossetoresdeumacomunidade(Gandin,2001).Ficouclaro,aolongodaexperiência,umenfoquedeeducaçãoambientalpautado,porpartedacomunidade,comoumaformadepreservaçãodomeio-ambiente,atravésdeseusaspectosbiológicosemdestaque,mesmoqueoprojetotenhaestimuladoultrapassaraadesãoapráticaspedagógicastradicionaisdereciclagemeacondicionamentoadequadodolixo,dapreservaçãodeáreasverdes,plantiodeárvores,etc..Mesmocomasiniciativasdeformaçãoambientalrealizadasjuntoàcreche,devemosconsiderarquea“compreensãodemundo”estabelecidahegemonicamentesobumparadigmasimplificador-reducionistaépermeadadediversosentendimentosentreosindivíduos,limitandoacompreensãodoselementos(ambiente,sociedadeepensamento),criandoumcárcereeumaincapacidadediscursiva(comoindivíduosegruposocial)dafalaecompreensãodeummundocomplexo(Viégas,2002).Noquetangeaabrangênciacomunitáriadoprojeto,umadasrepresentantesdeumaorganizaçãopolíticadaVilaKennedy(Conselhodepaisdacrechedacomunidade)consideraqueasatividadesdesenvolvidaspoderiamseravaliadasdaseguintemaneira:“Bomoterrenobaldionoladodaescolaaindacontinuacomaspessoasjogandolixolá,essadeveriaserapróximaatividadeacontinuar.Opessoaltembuscadomaiscoletividade,poisopessoalestácansadodeesperaropoderpúblico,masamaioriaaindanãoparticipa”.Demonstrou-se,nodecorrerdoprojetoquenãohouveumamploprocessodemobilizaçãoemeducaçãoambientalecidadania,masrealizou-seopossível,namedidadascondiçõesreaiseobjetivasestabelecidas,levando-seemconta,aslimitaçõesestruturaisepolíticasdacomunidade,dacrecheedaONG.Umfatoraserressaltado,éoimpedimentodeumaatuaçãocomunitáriamaisconsistenteemtornodainiciativa,devidoàsatividadescotidianasdetrabalhoassalariadodaspessoasdacomunidade.Outrasatividades,segundoobservaçõeserelatos,estãorelacionadasaocuidadocomafamília,moradia,estudoescolareoutrasdemaisocupações,revelaramumcotidianoquepoucopermitiae/oudeixavabrechaspararealizaçãodeatividadesforadessarotina.Oquestionamentoeproblematizaçãodessesfatoreslimitantesqueforamidentificados,apontamparaanecessidadedosprojetossociaisassumiremumpapelmaisrelevanteedemaiordensidadepolíticaperantearealidade. 3.OEXERCÍCIODACIDADANIA:REFLETINDOSOBREASIMPLICAÇÕESDOPROJETO Oprojetosocialemquestãonestapesquisatinha,comoumdosseusobjetivosespecíficos,desenvolveratividadesde conscientização  ambiental  juntoacrecheeacomunidadeescolarenvolvidanele,ecomesseprocessoconseqüentementedesencadearamobilizaçãodaprópriacomunidade,paraasuperaçãodarealidadesocialestabelecidaeaprosseguirdeformaautônomaasaçõesemEducaçãoAmbiental.ExplicitamosapartirdeLibâneo(1994),quequandoopta-seemrelaçãoadeterminadosmétodoseducativos,essesnãodevemreduzir-seaquaisquermedidas,procedimentosetécnicas.Issoquerdizerque,antesdeseconstituiremprocedimentos,ométododeensinotemqueestarembasadonumareflexãoteóricaeprática.Decorremdeumaconcepçãodasociedade,danaturezadaatividadepráticahumananomundo,doprocessodeconhecimentoe,particularmente,dacompreensãodapráticaeducativaemdeterminadasociedade.Avaliandoseosobjetivosdoprojeto“EducaçãoAmbientalnaVilaKennedy”foramalcançados,gerandoumapossívelconsciênciaambiental,osdepoimentosdacomunidadeescolarenvolvidanele,cooperamnesseaspecto,trazendodiversaspercepçõeseopiniões,complementandoefortalecendonossaanálise.Umdosmembrosdoconselhodepaisenquantointeragiaemumadasatividadesdoprojetocomascriançasnacreche,questionadoseainiciativaestariaalcançandoseusobjetivos,relatouque“Oprojetoproporcionoumudançasedeuorientaçãoeachoquetánahoradacomunidadefazerasuaparte”.JáaeducadoraS.,opinouque“[...]aspessoasdacomunidadetambémforamatingidaspositivamentecomoprojetovistoquepassaramadarmaisatençãoaoterrenoabandonadoaoladodaescolaquemuitasvezesosmoradoresdeixavamanimaismortos,omatoabrigavacobras,aranhasmosquitos,lixo,tambémpassou-seatermaiscuidadoemnãojogarlixonochão,cuidardasárvoresdarua...Tudoissoéreflexodeumtrabalhoqueultrapassouascriançaseexpandiu-seemgrandepartedeumacomunidade.”   01/04/13[Artigo]-Educação Ambientalem Ação Ascontribuiçõesdacomunidadeescolartrazemparaaanálise,importantesconsiderações,poisressaltamaimportânciadasatividadesdesenvolvidaspeloprojetotantoparaoseducandosdacreche,bemcomoparaacomunidadeescolaremsi.Asaçõesemeducaçãoambientalrealizadasnacrechecontarammuitasvezescomaparticipaçãodospaisecomunidadeescolar,tantoematividadespedagógicasfocadasnascriançascomonasmobilizaçõescomunitárias(reuniõesepasseatas).Apartirdissoexplicitamosanecessidadedapolitizaçãododebateenvolvendootemaambiente,bemcomo,aeducaçãoambiental,poisnestastemáticas,atransformaçãodanaturezapelaaçãohumanaeconseqüentementedasrelaçõesestabelecidasdoshomensentresisãodeterminantesnessesentido.Emergeassim,aquestãodacidadania,porserumcampopermeadodeproposiçõeseações,desdeoâmbitoinstitucional,quantoindividualecoletivo,formaleinformal,oucomoevocavaPauloFreireanecessidadedoindivíduo“sereestar com omundo”.Seguindoessalinha,compartilhamoscomFreire(1976)aidéiadequeaspessoasrefletindosobresuapróprialimitaçãopoderãosercapazesdelibertarem-se,sendotransformadoresdesuarealidadecondicionadaeconformadoresdeumapráticaconsciente.Umadasdimensõestalvezaprincipal,emqueoprojeto“EducaçãoAmbientalnaVilaKennedy”,procurouatuarfoidesenvolvendoumconjuntodeatividadesdirecionadasàrelaçãocidadaniaeambientecomunitário.Dessemodo,quandooprojetoiniciousuasatividadesemeducaçãoambiental,buscoupotencializaressainiciativacomoumarelaçãode“mãodupla”,visandoàexpansãodessasaçõesconjuntasentrecomunidadeescolarevilaKennedy.Comissovemàtonaumadasquestõesquenorteianossaanálise,ouseja,quenãobastaapenasquestionarequerertransformaraestruturaeasaçõeseducativo-pedagógicasemsi,mastambémsedeveconsiderarocontextosocialqueenvolveeinteragecomaestruturaeducacional.ApartirdessarelaçãoentreacrecheeaVilaKennedy,constitui-seumcamposocialqueseinter-relacionasobmúltiplasformasdesociabilidade.Sobessaperspectivanãocabedelegaraescolamudarisoladamentealgumarealidadesocialouseuprópriocontexto,bemcomo,decretarqueamesmasejaumpontocentraldemudançanacomunidade.Atransformaçãodocotidianocomunitáriopropostanessecaso(emrelaçãoaoprojetoanalisado),estánofatodeconstituiracrechecomomaisumpontodeapoiodacomunidadeparaaelaboraçãodeidéiasepropostascomunitárias,usando-secomomeioatemáticasocioambiental.Sendoassim,observamos,comodecorrerdosacontecimentos,ainviabilidadedeatividadescalcadasnaeducaçãotradicionalprosperarem,aindamaisemumaáreadeperiferiaurbanacomumprocessodeexclusãosociallatente,pauperismoentremuitosmoradores,trabalhadoresformaiseinformaiscomaltacargahoráriadetrabalho.Oprocessodeexclusãosocialaquireferidotemumsentidomultidimensional.Aexclusãosocial,segundoSposati(1996)seriaaimpossibilidadetantopessoalquantocoletivadaspessoaspartilharemdasociedade,tendocomocotidianaaprivaçãosobdiversosaspectos.Sendoassimtrata-sedeumalógicaqueenvolvemváriasrelaçõeseconômicas,sociais,culturaisepolíticasdasociedadebrasileira,incluindofatorescomopobreza,discriminação,subalternidade,nãoequidade,nãoacessibilidadeenãorepresentaçãopública.Ao olhar acomunidadequandoexecuta-secomoestudante,extensionistae/ouagentedeONGumprojetocomunitário,deve-seteremmentequeesteprojetorealiza-secomointuitode beneficiar tambémacomunidade,equenessecontextopodemabrir-sepossibilidadesdeparticipação,interaçãoeaprendizagemdeseusintegrantes.Otermo beneficiar nessecasoérelacionadocomooapontamentodecaminhosparaaautonomia,cidadaniaeestímuloainiciativasendógenasdacomunidadeescolar,distinguindo-sedaculturapaternalista,assistencialistaeoportunistaqueestáimpregnadasocialmentecomosenso-comumemdiversasiniciativascomunitárias.SegundoCOSTANETO(2004),quandoatoresdediferentesespaçossociais(comunidade/participantesdoprojeto)entramemcontato,osignificadoeovalordoselementos(sejamsociaisounaturais)easatividadesquesepropõemadesenvolverjuntos,devemserexaustivamentenegociadasparaquetaisatorescompreendamdeformacompartilhadaocenárioespecíficoemquesemovem.Istoimplicanaformaçãodeprocessosdetransferênciadeconhecimento(edetransformação)e,portantoprovocaaconstruçãoereconstruçãosocialdosespaçossocioambientais.UmadasquestõesquesempreforammuitodebatidascomaequipedoPACS–USK,desdearealizaçãodasiniciativasemeducaçãoambientalnoâmbitogeraldacomunidade,seriadedesenvolveroprojeto,comomuitosparticipantesfalavamnasreuniõesdeplanejamento,no “ritmodopessoal” .Comisso,foibuscadosempreantesdedesenvolverasaçõesdoprojeto,verificaradisponibilidadedacomunidadeemparticiparconjuntamentedasatividades,tornando-seumadasformasencontradasparaestimularoenvolvimentoeosentimentodepertencimentodapopulaçãoemrelaçãoàiniciativa.Ametodologiaadotadaacabousetornadotambémumaformadeavaliarareceptividadedoprojetojuntoàpopulaçãolocal.Emrelaçãoàcreche,essaformadeatuarfoimuitoressaltadanasreuniõespedagógicascomaseducadorasecomospaisdascrianças.Dessemodo,quandofalamosemcidadaniaeautonomia,estamospropondotambém,noâmbitodaeducaçãoambiental,instigarumprocessodetensãoentreaaçãopedagógicaescolaratuantenaampliaçãodosespaçosdecidadaniajuntoàsociedadeeoatualestadodeprecariedade,tantoestruturalquantoeducativo,daeducaçãopública.Atravésdoprojetoentendemostambémqueodesenvolvimentodeatividadesestimuladorasdeprocessosdecidadania(comoporexemplo,reuniãoampliadacomacomunidade),nãosetratadeumprocesso“tranqüilo”enãodevetercomoobjetivoprincipal“agradaratodos”.Duranteasreuniõesdoprojetoeaçõescomacomunidadeescolarparaodesenvolvimentodeaçõesvoltadasaoexercíciodacidadaniaedareflexão,provocaram-sedesconstruçõesdecomportamentos,questionamentodeatitudestradicionalmenteconvencionadasedesestabilizaçãoderelaçõesdehierarquiaslocaisesociaislegitimadas.Destamaneira,trata-sedeumprocessonão-consensual,permeadodeconflitoseinteressesdosmaisdiversosmatizes.Relaçõessociaisamigáveisconstruíram-senodecorrerdesseprocesso,mascomoumdosobjetivosdoprojetoeraproporcionarespaçosparaesclarecerepensarmudançasocial,atividadeseconversastornaram-seimpraticáveiscomoconcessãodeconveniênciasaltruístasemmanutençãodeumbem-estaretranqüilidades,incoerentescomarealidadeimposta.Portanto,mesmocaptando-setodasasdificuldadesemdesenvolverprocessosconsistentesdemobilizaçãoeconscientizaçãodacomunidadeemrelaçãoaoseuambientecomunitário,etomandoposiçõespolíticaspolêmicasnodecorrerdoprojetoquepoderiamafastarparticipantesepessoas,optamosemiiiiiiiii.  14/7/2014EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA: ANALISANDO UM CAMPO DE SOCIABILIDADES E EXPRESSÕES POLÍTICAS EM UM PROJETO …http://www.academia.edu/3137906/EDUCACAO_AMBIENTAL_E_CIDADANIA_ANALISANDO_UM_CAMPO_DE_SOCIABILIDADES_E_EXPRESSOES_…3/4 www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1454&class=023/5trilharcaminhosdistintosdemuitasoutrasiniciativas.Emrelaçãoàcreche,consideramosqueosfatosqueocorriamnacomunidadeinfluenciavamdiretamenteesta,poisestandoinseridanoentornocomunitário,recebepressõesecoerçõessociaisdasmaisdiversasformasparaajustar-seemdeterminadocontextodominantenacomunidade.Noprojetoemavaliação,destacamoscomodesafio,arealizaçãodediscussõessobreumterrenobaldioqueerautilizadocomodepósitodelixocomunitárioaoladodaescola.Umadasestratégiasiniciaisdeatuaçãoemrelaçãoaesteterrenobaldioseriade,aoinvésderealizarumasimpleseresolutivalimpeza,iniciarumacampanhaeducativaentreacomunidadeescolareosmoradorespróximosaoterreno.Osdebatesemrelaçãoaorevigoramentodesteterrenobaldionãosurgiramporpartedacrecheporquestõesdeestéticaelimpeza,massimdesaneamentoambientaleocupaçãodoterrenoparaatividadespúblicasedacreche.Portantoacreditávamosqueoterrenopoderiadeixardesero“depósitodelixopúblico”dealgunsmoradoresdalocalidade.Afunçãodenossaequipe,conformeplanejamentoemrelaçãoaessaatividadeeradesenvolveridéiaseaçõesemeducaçãoambientalparaatuarfrenteocaso,easeducadorasteriamautonomiaemoptarquandoacionareexecutá-las,depreferênciaquandohouvesseumaconjunturaadequadaeummaiorapoiocomunitário.Justificamostalopçãodevidoasupostaspressõese/ouretaliaçõesporpartedealgunsmembrosdacomunidadenãointeressadosemmudaressasituaçãorelativaaoterreno,ouseja,continuarutilizando-ocomodepósitodelixo.Dessemodo,acadadia,foramexpostosedesveladososobjetivosdoprojetosocialemeducaçãoambientaldesenvolvidoemconjuntocomacreche.Avaliamosqueapenasrealizandoalimpezadoterreno,semdiscutiredebaternacomunidadeescolaraimportânciaeoprotagonismoqueestadeveriaternorevigoramentodaqueleespaço,apenasestariasereproduzindomaisumaaçãoautomatizadaeineficaz.Atitudeestaquenãopromoveriaodevidodebatesobrecidadaniaeamobilizaçãocomunitárianecessáriasnasoluçãodosproblemasinerentesalocalidade.Entretantodeixamosclaro,queaeducaçãoambientalnessecaso,comoemtantosoutros,nãodeve   01/04/13[Artigo]-Educação Ambientalem Ação www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1454&class=024/5serconcebidacomoasoluçãodetodososproblemassocioambientais,maspodeconstituir-secomoumimportantemeioparaenfrentamentodestes.Emseusdepoimentos,aseducadorasrelataramquehouvemudançasdealgunshábitoscomunitários,enfatizandoadiminuiçãodoacúmulodelixonoterrenolocalizadoaoladodacreche,oqualestavasendoutilizadocomoum“depósito”delixodoméstico.Esseacontecimentopontual,quenãonecessariamenteapontamudançadeconsciência,paraCarvalho,(2004),podeserumdoscaminhosepossibilidadesdetransformaçãoquedespontadaconvergênciaentremudançasocialeambiental.Noquetangearelaçãoexistenteentrecidadania,meioambienteeeducação,afirmamosqueestarelaçãonãovemàtonademaneiragratuitaoucomodestino,masemergedediscursosepráticashistoricamenteconstruídas,ouseja,comoumapreocupaçãosocioambientalelaboradaapartirdosdesafiosdapráticasocialcotidiana. 4.LIMITESQUEINSTIGAMPOSSIBILIDADES:CAMINHOSEDESCAMINHOSEMEDUCAÇÃOAMBIENTAL Combaseemnossoprojeto,afirmamosqueumprocessodesensibilizaçãodacomunidadeescolarpodefomentariniciativasquetranscendamoambienteescolar,atingindotantoobairronoqualaescolaestáinseridacomocomunidadesmaisafastadasnasquaisresidamalunos,professoresefuncionários.Souza(2000)afirma,inclusive,queoestreitamentodasrelaçõesintraeextra-escolarébastanteútilnaconservaçãodoambiente,principalmentedoambientedaescola.Arelaçãodoprojeto“EducaçãoAmbientalnaVilaKennedy”comaeducaçãoformal,emespecialacreche,alémdetersepropostoaatuaremcarátercomunitário,tevefortestraçosextensionistas.ParaosestudantesoriundosdaUFSMqueparticiparamdasatividades,mesmoainiciativanãosendoligadaainstituiçãoacadêmicaformadoradestes,proporcionou-lhesumaintensaexperiênciadecontatoevivênciacomacomunidadedoBairroSalgadoFilho.Aextensãoentendidacomopráticaacadêmicaqueinterligaauniversidadenassuasatividadesdeensinoedepesquisacomasdemandasdamaioriadapopulação,possibilitouumaformaçãoprofissionalesocialdiferenciada.Nodecorrerdoprojeto,apesardesuasdificuldades,optou-seemrealizaresforçosnosentidodepromoveratividadesdeextensãonãodifusionistasesemimposições,pautando-seemdesenvolverconformeFreire(1988)metodologiasparticipativasedialógicas.Asespecificidades/dificuldadesdosagentesendógenos(comunidadeescolardacreche)eexógenos(projetoemquestão)eramlevadasemconsideração.Atravésdessaformadediálogo,buscamosevitaroplanejamentodeaçõesediscussõesdoprojetoapenascomoformade “cumprir” agendae/ouquenãopudessemserrealizadasdeformacoletivaerefletidacomacomunidade.Oprojetooportunizouocontatodascrianças,comunidadeeeducadorescomotemaambiental,eistoproporcionoumomentosdereflexividadesobreosproblemasambientaisenfrentadosnacomunidadelocalenasociedadeemgeral.Precisamostambémavaliarque,asdificuldadesparacontinuidadedasações,éumaquestãocomumàcomunidade,aONGeaosparticipantesdoprojeto.Aotérminodoprojeto,aONGnãopossuíaumcontingentedepessoascapacitadasecomdisponibilidadeparalevarafrenteotrabalhojuntoaVilaKennedyeacreche.Avaliamosqueatemáticaambientalépercebidacomoumademandadepoucaimportânciaemrelaçãoaoutras,comogeraçãoderendaporexemplo.Dessaformaaeducaçãoambientalcorreoriscodegradativamentenaturalizar-secomoalgoalheioàreproduçãosocialesobrevivênciadaspessoas.Apesardoreconhecimentosocialdasuaimportância,háumafaltadedisponibilidadeoumotivaçãotácitapararealizaçãodeaçõeseducativasnacrecheenacomunidade.Assimemumestadodereduzidaautonomia,quandoseussujeitosfazemaopçãodeausentar-seounãoatuaremrelaçãoatemasdeseuinteresse,ocamposocial,comopensouBourdieu(1997),apresentafracaspotencialidadesderefratarosconflitosdoespaçosocialgeral,comoosocioambiental,porexemplo.Concluímosreafirmandoqueatemática“educaçãoambiental”,despertanosgrupossociais(comunidadedeumavilae/ouescola)novasformasdecompreensãoereflexão.Comisto,abrem-sediversaspossibilidadespararealizaçãodepráticasinterdisciplinares,renovaçãodaestruturaescolar,ampliaçãodoolhardacomunidadesobresuasproblemáticas,oquelevaaumainterferênciacríticaeresponsávelsobrearealidade,econseqüentemente,práticasdecidadaniaedeconstruçãodaautonomia,tantoindividualcomocoletiva.Nessesentidocabechamaraatenção,quejuntoaoensinoformaléimportanteoplanejamentodeaçõesemeducaçãoambientalaolongodetodoanoletivo,nãosomenteemmesesedatasespecíficasalusivasaomeioambiente(diadaárvore,água,dosanimais,etc.),poisalémdessasatividadesseremesporádicaseisoladas,tratamatemáticaambientaldeformadescontextualizadacurricularmenteenumaperspectivaepistemologicamenteempobrecedora.Tendoporbaseasquestõesquenortearamnossotrabalhoeestaanálise,podemosdizerqueesteprojetodeveserobservadonãocomoummodeloaserseguidoereproduzido,mascomoumexemploparaestudantes,multiplicadoresetrabalhadoresemeducação,dospossíveis(des)caminhosqueasiniciativasemeducaçãoambientalpodemter.Dessemodo,instiga-seodesafiodabuscadeumaatuaçãocalcadanaproposiçãodeprocessosdeformação,assumindo-seenquantoeducaçãopermanente. REFERÊNCIASBIBLIOGRÁFICAS Abong.AssociaçãoBrasileiradeOrganizaçõesNãoGovernamentais. ONGsnoBrasil:Perfilecatálogosdasassociadas. www.abong.org.br/novosite/institucional/abong.asp.(consultadonainternetem03deAbrilde2007).Berger,G. OpinionsandFactsinInterdisciplinarity:ProblemsofTeachigandResearchinUniversities. OECD,Paris1972Bourdieu.P. Lesusagessociauxdelascience.Pourunesociologiecliniqueduchampscientifique. Paris:EditionsINRA,1997.___________. EscritosdeEducação. Petrópolis:Vozes,1998.Carvalho,I.C.deM. PROJETOINTEGRADODECIÊNCIASEMATEMÁTICAPARAPROFESSORESDAREDEPÚBLICA–UFSCar.QUALEDUCAÇÃOAMBIENTAL?ELEMENTOSPARAUMDEBATESOBREEDUCAÇÃOAMBIENTALPOPULAREEXTENSÃORURAL. Pró-Ciências2002.CAPES/SEE/DE.(http://www.dm.ufscar.br/~salvador/homepage/pro_ciencias_2002/materialdistribuido/Educacao%20Ambiental%20e%20Meio%20Ambiente/texto_Isabel_EARE.pdf.(consultadonainternetem23dejulhode2008)._____________________. UmaleituradaeducaçãoambientalemcincoestadoseumbiomanoBrasil. PortoAlegre,nov.2004.Relatóriodepesquisa.www.rebea.org.br(consultadonainternetem12deabrilde2008).Cavalcante,M. .Aescolaqueédetodasascrianças. NovaEscola,Vol.20,nº182,2005.CostaNeto,Canrobert. Discutindoreferenciasparaaconstruçãodesaberessocioambientais.Sociologiaedesenvolvimentoruralsustentável:aalternativaagroeco-socio-lógica. In:CANUTO,J.C.;COSTABEBER,J.A.(org.)Agroecologia:conquistandoasoberaniaalimentar.PortoAlegre:EMATER/RS;Pelotas:EMPRAPAclimatemperado,2004.Fazenda,IvaniC.A. Integraçãoeinterdisciplinaridadenoensinobrasileiro:efetividadeouideologia. SãoPaulo,Loyola,1979.Freire,Paulo. Pedagogiadaautonomia.Saberesnecessáriosàpráticaeducativa. 3.ed.SãoPaulo:PazeTerra,1997.  14/7/2014EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CIDADANIA: ANALISANDO UM CAMPO DE SOCIABILIDADES E EXPRESSÕES POLÍTICAS EM UM PROJETO …http://www.academia.edu/3137906/EDUCACAO_AMBIENTAL_E_CIDADANIA_ANALISANDO_UM_CAMPO_DE_SOCIABILIDADES_E_EXPRESSOES_…4/4 Job Board   About   Mission   Press   Blog   Stories   We're hiring engineers!   Help   Terms   Privacy   Copyright   Send us Feedback Academia © 2014
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x