A Percepção de Crianças sobre o Lixo Marinho: Uma Abordagem Lúdica na Popularização das Ciências

Please download to get full document.

View again

of 7
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Published
A temática " lixo ou resíduos sólidos " tem sido alvo substancial nas práticas educativo-lúdicas realizadas por educadores ambientais, apresentando ampla abordagem e possibilidades no ensino das ciências, seja nas escolas ou espaços
  22/01/13[Artigo] - Educação Ambiental em Ação1/7www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1356&class=02 ISSN 1678-0701 [Exibindo artigos de todos os números] Números anteriores   ...  Início  | Cadastre-se!  | Procurar   | Apresentação | Artigos | Dicas e Curiosidades | Reflexão | Textos de sensibilização | Dinâmicas  | Dúvidas | Entrevistas | Saber do Fazer | Culinária | Arte e ambiente | Divulgação de Eventos | O que fazer para melhorar o meio ambiente | Sugestõesbibliográficas | Educação | Você sabia que... | Plantas medicinais | Contribuições de Convidados/as | Trabalhos Enviados | Folclore | BrevesComunicações | Meio Ambiente e Experiência da Diferença | Educação Ambiental e Comunicação | Reportagem | Normas de Publicação | Práticas deEducação Ambiental | Colaboradores antigos   Artigos No. 42  - 18/12/2012 A PERCEPÇÃO DE CRIANÇAS SOBRE O LIXO MARINHO: UMA ABORDAGEM LÚDICANA POPULARIZAÇÃO DAS CIÊNCIAS  A temática “lixo ou resíduos sólidos” tem sido alvo substancial nas práticas educativo-lúdicas realizadas por educadores ambientais, apresentando ampla abordagem e possibilidades no ensino dasciências, seja nas escolas ou espaços alternativos. A PERCEPÇÃO DE CRIANÇAS SOBRE O LIXO MARINHO: UMA ABORDAGEM LÚDICA NA POPULARIZAÇÃO DAS CIÊNCIAS  Children perception about marine debris: a playful approach in science popularization  Gustavo Freire de Carvalho-SouzaPrograma de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal da Bahia -UFBA. Salvador-BA. [gustavofcsouza@yahoo.com.br] Helen Ayumi OgasawaraPrograma de Pós-Graduação em Botânica, Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS. Feira de Santana – BA.[ayumi.ogasawara@yahoo.com.br] Janete Gomes Abrão-OliveiraCentro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos, BIOTA Aquática. [janbiologa@hotmail.com] Luciano Gomes Pataro de Almeida Aguiar Programa de Pós-Graduação em Botânica, Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS. Feira de Santana – BA.[luciano.pataro@yahoo.com.br] Gilvana Santos BarretoPrograma de Pós-Graduação em Zoologia, Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS. Feira de Santana – BA.[gilsantosbarreto@gmail.com]   Email de Contato: [gustavofcsouza@yahoo.com.br]  Resumo A temática “lixo ou resíduos sólidos” tem sido alvo substancial nas práticas educativo-lúdicas realizadas por educadores ambientais,apresentando ampla abordagem e possibilidades no ensino das ciências, seja nas escolas ou espaços alternativos. Dentro destecontexto o presente estudo promoveu atividades de capacitação e sensibilização ambiental em escolas públicas e particulares eutilização de um potencial espaço público para práticas educativas e de popularização das ciências com crianças em relação ao lixomarinho. Percebe-se a partir das diferentes maneiras de ver o ambiente pelos agentes sociais, uma chave extremamente relevante paraa elaboração de diagnoses, planos, políticas e programas de educação ambiental que colaborem na resolução de conflitos e problemasambientais, estimulando a construção de sociedades sustentáveis.  Palavras-chave: educação ambiental, poluição marinha, sensibilização  Abstract The thematic “the trash or solid waste” has been a substantial target in educative-playful practices undertaken by environmental educators,showing a broad approach and possibilities in science education, whether in schools or alternative spaces. In this context the present studypromoted training and environmental sensitization activities in public and private schools and a potential use of public space to educativepractices and popularization of science with children about to marine trash. It is perceived from the different ways of seeing the environmentby social workers, an extremely important key to the development of diagnoses, plans, policies and environmental education programs thatcooperate in resolving conflicts and environmental problems, encouraging construction of sustainable societies.  Keywords: environmental education, marine pollution, awareness  INTRODUÇÃO  O lixo marinho é uma das oito categorias de contaminantes do Programa Global de Ação para Proteção do Meio Ambiente Marinhodas Fontes Baseadas em Terra (GPA) da United Nations Environment Programme  (UNEP, 2005). Seus possíveis impactos vem sendoreconhecidos pela ciência e apesar de sua projeção na mídia atual, o lixo marinho ainda carece na capacitação e sensibilização deagentes multiplicadores e atores sociais (Santos et al.,  2001; Ivar do Sul & Costa, 2007; Carvalho-Souza & Tinoco, 2011).    22/01/13[Artigo] - Educação Ambiental em Ação2/7www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1356&class=02  A temática “lixo ou resíduos sólidos” tem sido alvo substancial nas práticas elencadas por educadores ambientais. Suaabordagem apresenta uma gama de possibilidades dentro do ensino das ciências, seja nas escolas ou espaços alternativos, a fim depropiciar opções para trabalhos interdisciplinares com diversos focos de atuação como a coleta seletiva, consumo consciente,reciclagem industrial e afins (Cinquetti, 2004; Eigenheer, 2008). No entanto, o ensino e popularização das ciências não se restringem somente à transmissão de informações ou apresentação deprobabilidades, mas sim à condução do aluno a tomar consciência de si mesmo, dos outros e da sociedade. É oferecer uma série deferramentas educativas para que ele possa escolher entre os caminhos, o qual se compatibilizar com seus valores, suas concepções demundo e com as adversidades que irá encontrar ao longo de sua vida (Oliveira, 1999). A Educação Ambiental (E.A.) emerge então como instrumento capaz de proporcionar mudanças na percepção da sociedade,contribuindo para as práticas sustentáveis (Coimbra, 2006), como os envoltos problemas do lixo marinho, visando assim formar cidadãoscoerentes em suas atitudes e com ética nas suas relações com o convívio social e com o meio ambiente (Reigada & Reis, 2004). Os conceitos e discursos que orientam as atividades de educação ambiental estão intrinsecamente relacionados com aspercepções dos múltiplos atores sociais que atuam com enfoque ambiental refletindo-os assim diretamente nas ações, tomadas dedecisão e na formulação de políticas públicas (Hoeffel & Fadini, 2007). De acordo com Almeida e Simão (2010) a percepção ambiental é como uma visão que cada indivíduo tem do espaço que ocerca, uma imagem fidedigna do que vê e que o leva a interagir, podendo influenciar pessoas e o ambiente no qual interage. Apercepção de cada indivíduo é um processo pessoal. Contudo, o indivíduo não age isoladamente num determinado ambiente, mas deforma coletiva, uma vez que faz parte de um grupo com comportamento e características semelhantes. Nesta perspectiva de que todos somos responsáveis e aprendizes em relação à complexidade dos temas que envolvem asustentabilidade e a consequente formação de sociedades sustentáveis com responsabilidade global, a educação ambiental atinge seusobjetivos quando promove os conhecimentos necessários para a compreensão do ambiente, desperta consciência capaz de afetar comportamentos (Dias, 1993). A criança participando deste processo de construção e experimentação da realidade de forma coletiva passa então a constituir seus próprios conceitos. Ainda mais quando trata de assuntos familiares ao seu cotidiano e lazer, como o estudo em questão com o lixoem praias, mares e oceanos, tornando-o agente ativo de mudanças. A articulação entre estes conceitos espontâneos e científicosproporciona uma visão mais abrangente do real e de forma concreta, sustentada desta forma, por esta interconexão e geração a partir daprópria vivência da criança (Miranda et al  ., 2010). No entanto esta aprendizagem e experiências coletivas podem ocorrer com criatividade, esforço espontâneo e prazer através deabordagens lúdicas. O lúdico torna-se prazeroso pela capacidade de absorção, entusiasmo, formando-se um catalisador de motivação(Chaguri, 2006; Knechtel & Brancalhão, 2009). As situações lúdicas mobilizam esquemas mentais no processo de ensino-aprendizagem, além de desenvolver vários aspectosda personalidade como a cognição, afeição, socialização, conduta, observação, inventividade e auto-estima (Tezani, 2004; Knechtel &Brancalhão, 2009). Com base nestes pressupostos, propomos o desenvolvimento de atividades lúdicas como potenciais ferramentas de capacitaçãopara o desenvolvimento de práticas pedagógicas. No presente estudo foram promovidas atividades de capacitação e sensibilizaçãoambiental, em um potencial espaço público para práticas educativas com crianças em relação ao lixo marinho.  CAMINHOS METODOLÓGICOS  Para a promoção destas atividades foi desenvolvido o projeto “Atividades de capacitação e sensibilização de agentesmultiplicadores sobre os impactos da poluição em ecossistemas aquáticos” como iniciativa integrante da Semana Nacional de Ciência eTecnologia através do programa de popularização das ciências. As atividades práticas transcorreram durante três meses incluindotambém em outros eventos comemorativos, como o Dia Mundial de Limpeza de Praias ( Clean up Day  ), um ato simbólico mundialmenteconhecido em práticas de sensibilização e remoção dos resíduos sólidos em praias, rios, lagos, manguezais e oceanos. Este projeto de cunho conservacionista promoveu a sustentabilidade abordando uma magnitude de contextos técnico-científicos,amparados por sua multidisciplinaridade, e respaldo de uma temática de caráter global, no entanto necessitado de ações locais. Atravésde um panorama de atividades as ações buscaram capacitar agentes, principalmente ligados às redes de ensino, através de umaabordagem e linguagem interativa, apresentando o envolvimento de diferentes atores e a oportunidade de avaliar as informações quantoàs técnicas de sensibilização realizadas em diversos âmbitos sociais bem como a condução do processo em espaços alternativos deaprendizagem. A condução das atividades foi realizada em uma tenda montada nas imediações da praia do Porto da Barra, Salvador – Bahia,como um recurso didático inovador e objeto de investigação, por se encontrar diretamente ambientada ao propósito, sendo um espaçoideal para promoção de uma sensibilização ambiental participativa. Naturalmente este local constitui-se um dos pontos de apelo turístico mais famosos do município (Figura 1), sendo tipicamentefrequentado por ampla diversidade de atores sociais presentes (ex. banhistas, mergulhadores, esportistas, ambulantes e afins)(Carvalho-Souza & Tinoco, 2011). Assim o estudo em questão almejou disseminar as informações abordadas ao maior número de perfissócio-econômicos quanto possível.   22/01/13[Artigo] - Educação Ambiental em Ação3/7www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1356&class=02 Figura 2. Vista da praia do Porto da Barra, em especial o constante fluxo diário de freqüentadores no local, e atracamento de pequenasembarcações. Foto: Carvalho-Souza, G. F., 2010. Algumas precauções foram tomadas pelos educadores no planejamento das atividades no espaço público. Os horários dasatividades se sucederam nos períodos de menor insolação; atividades com curta duração para evitar a dispersão e falta de atenção,bem como de acordo com a faixa etária envolvida; uma equipe de professores para auxiliar, já que se trata de um espaço aberto;instruções para os participantes com informações sobre os problemas causados, no caso em questão, sobre o lixo marinho (Chagas,2005; Silva et al  ., 2010). Para estabelecer uma calibragem na forma de recepção dos educadores, foram seguidas as proposições de ensinamento ao ar livre de Cornell (1997): receptividade, concentrar a atenção no grupo, observar e compartilhar, criando assim um ambiente deensinamento prazeroso. Para elaborar as atividades a serem executadas foram agrupadas as informações necessárias relativas à temática com buscaexploratória em sítios de pesquisa impressa e digital em banco de dados oficiais (livros didáticos e periódicos indexados específicos aoproposto), além de visitas a acervos de centros de pesquisas universitários e bibliotecas públicas e privadas (Chagas, 2005). Uma série de autores traz metodologias de atividades educativas com baixo custo e replicação simplificada a seremdesenvolvidas no ambiente escolar e externos como praias, praças, zoológicos, parques e afins (Telles et al  ., 2002; Reigada & Reis,2004; Chagas, 2005; Silva et al  ., 2010; Santana Neto et al  ., 2011). A descrição dos métodos educativos propostos neste estudo foram baseados na experiência e literatura especializadas, nãoobjetivando limitar a infinidade de formas educativas a serem desempenhadas em espaços externos ao ambiente escolar, e sim, tornar-se uma base norteadora para os caminhos desenvolvidos por educadores ambientais e professores em geral.  DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES  Foram desenvolvidas atividades lúdicas como promotoras de aprendizagem, dispostas a desenvolver habilidades comocriatividade, reflexão, capacidade de resolução de problemas, coletividade, atenção e favorecimento da apropriação de conceitos deacordo com a faixa etária. As palestras ofertadas pelos educadores ambientais tiveram como foco nortear os participantes através dos preceitos dasensibilização ambiental quanto à problemática da poluição nos ambientes costeiros e marinhos, seus atores sociais, aresponsabilidade de cada um e as iniciativas que o projeto se propôs. De acordo com Butzke et al.  (2001) a sensibilização ambiental éum dos fundamentos gerais da educação ambiental para transformar o comportamento humanístico e absorção de valores. Foram desenvolvidas oficinas de confecção de brinquedos, com materiais recicláveis como garrafas pet, latas, palitos demadeira (picolé), tampinhas entre outros. Entre as brincadeiras também foi realizada uma pescaria numa piscina de 100 litros comresíduos sólidos, denominada “Nem tudo que se pega é peixe”, com o intuito de introduzir nas crianças a noção da importância deremover o lixo do ambiente marinho. Adicionalmente foi realizada uma dinâmica dos recicláveis, onde cada criança deveria separar o tipo de resíduo de acordocom as cores das lixeiras de coleta seletiva. Quando possível, devido ao estado de deterioração de alguns itens, foram incluídos nestegrupo materiais coletados durante as atividades de limpeza desenvolvidas nas praias e nos ambientes recifais, reforçando assim oestímulo ao reaproveitamento. Na tenda ainda foram desenvolvidos desenhos ou mapas interpretativos com uma temática pré-definida buscando a reflexão dascrianças em meio ao ambiente através da pergunta: “Como é o mar para você?” Os mapas contribuem na percepção com detalhe davivência de local e espaço dos participantes, exercendo ainda a cargo de tornar visíveis pensamentos, atitudes e sentimentos (Oliveira,2002; Almeida & Simão, 2010). No desenvolvimento das atividades o educador realizava sua respectiva descrição e posteriormente as instruções específicasnecessárias de cada uma aos participantes com enfoque na conservação do ambiente marinho e de destino dos resíduos sólidos aolocal adequado. Vale ressaltar que, para a realização dessas atividades, foi solicitada uma autorização dos responsáveis pelas criançasatravés de um termo de consentimento livre e esclarecido.  ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS  Para avaliar a percepção das crianças em relação ao lixo no ambiente marinho foram selecionados 20 mapas. A seleção foiestabelecida para interpretação dos dados com adoção adaptada do procedimento descrito em Kozel (2001), sendo selecionados coma presença de um dos quatros grupos de ícones especificados: elementos da paisagem natural; representação dos elementos dapaisagem construída; representação dos elementos móveis e representação dos elementos humanos. Para o tratamento das  22/01/13[Artigo] - Educação Ambiental em Ação4/7www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1356&class=02 informações foram utilizadas matrizes da plataforma Microsoft Office 2007 ® para tabulação e armazenamento de dados, sendo realizadauma descrição estatística.  RESULTADOS E DISCUSSÃO  A análise dos mapas pode destacar a importância da observação e possibilidade de organização e registro de informaçõespara as crianças, trazendo um aprendizado significativo, uma vez que houve abordagem em diversos aspectos sociais ecomportamentais. A faixa etária dos participantes incluídos na análise foi de 3 a 11 anos, estudantes das redes pública e particulares. Com base nas análises percebeu-se que os elementos apontados pelas crianças estão adequados em todas as categorias.Houve um amplo espectro de contextualizações dos elementos observados (n = 19) nas categorias com representações de elementos dapaisagem natural (sol, nuvens, mar, montanha, praia, coqueiro, algas e animais), construída (barco, barraca de praia), elementos móveis(lixo, esgoto, mesa, cadeira), humanos (homem, mulher, vendedor ambulante, pescador e criança) (Figura 3). Entre os mapas, 50%representaram duas categorias, 20% representaram um e três grupos e 10% desenharam todos os agrupamentos categóricos. Este mapa apresenta a visão da criançano ambiente em que se encontrainserido, com muitas características dapraia do Porto da Barra. Retrataelementos da paisagem natural (sol,nuvens, animais) e elementos dapaisagem construída (barcos). Esta representação mostra a percepçãoda criança quanto a elementos dapaisagem natural como o sol, nuvens,animais e afins, os da paisagemconstruída (barco), figuras humanas eelementos móveis sendo enfatizado oconhecido destino do lixo, os mares eoceanos. Esta imagem mostra elementos humanosretratado por uma mulher com cadeira,mesa e um carrinho de vendedor ambulante sendo desenhado o ambienteque é construído nas praias deimportância sócio-econômica e para olazer, conforto e recreação dos seusfrequentadores.Este desenho retrata o mar com umpescador e peixes, sendo ao centrocolocado o lixo e despejo de esgoto. Afigura humana não é associadadiretamente a poluição marinha mais seencontra subtendida por suas açõesantropogênicas no ambiente marinho.Nesta imagem podemos observar aindauma mensagem deixada com a seguintedescrição: “vamos preservar sim... não(se referindo ao lixo)... vamos sair com opeixe, estrela e siri”, fazendo-nos   22/01/13[Artigo] - Educação Ambiental em Ação5/7www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1356&class=02 perceber a noção de integração que umacriança possui com o ambiente em quevive.Figura 3. Quadro retratando através de mapas, “como seria o mar” sob a ótica de crianças de 3 a 11 anos em espaço público educativona praia do Porto da Barra. Um total de 44 elementos foi retratado nos mapas desenvolvidos. Dentre os grupos as reproduções de elementos da paisagemnatural foi o mais representativo (n = 20), seguido de paisagem construída (n = 10) e por ultimo elementos imóveis e humanos (n = 7)(Tabela 1). Em relação aos elementos, animais foi o mais indicado (90%), seguido de oceano e ondas (70%) e barco (65%). O lixomarinho foi reportado por 25% das crianças (Figura 4). Tabela 1. Valores de média, desvio padrão e intervalos dos dados obtidos no presente estudo. Eleetos dapaisage aturalEleetos da paisagecostruídaEleetosióveisEleetoshuaosMédia ,9 ,9 , ,Desvio padrão , , , ,Itervalo 9   Míio    Máxio      Figura 4. Representação quantitativa dos elementos desenhados pelas crianças em representação ao ambiente marinho, com arepresentação do lixo marinho em destaque. Atividades como esta buscam entender os fatores, mecanismos e processos que levam as pessoas a terem determinadasopiniões e atitudes com relação ao meio no qual estão inseridas. Em síntese, é reflexo da associação que um determinado indivíduo temcom o ambiente em que vive, sendo o estudo de como se sente, pensa e age como observador na própria paisagem vivenciada por ele(Teramussi, 2008). Os desenhos confeccionados por crianças representaram este espaço conhecido de seu cotidiano, experiências, seus conceitospré e pós concebidos, como também a percepção em alguns casos da problemática apresentada. Corroborando com estes resultados,Almeida e Simão (2010) analisaram que através de mapas mentais os alunos remeteram uma boa percepção do espaço que os cerca ea detecção do problema do desperdício de água no espaço escolar. Através destas ilustrações, denota-se de suma importância arepresentação de mapas ou desenhos para o entendimento do mundo vivido por eles. Então podemos ter na essência da percepção ambiental uma definição de conscientização da tomada do ambiente pelo homem,ou seja, o ato de perceber o ambiente que se insere, aprendendo a proteger e cuidar do próprio (Faggionato, 2005). Cada indivíduoenxerga e interpreta o ambiente de acordo com seu próprio olhar, sua própria forma de observar o mundo, a partir das experiênciasprévias, expectativas e ansiedades (Hoeffel & Fadini, 2007). Diferentes culturas irão desenvolver distintas percepções sobre o meio ambiente, sendo que o mesmo pode ser observado dentrode estruturas culturais aparentemente homogêneas (Milton, 1996). Isto pode ser visto nos resultados em questão, quando crianças demesmo grupo etário e frequentadoras de um mesmo local, obtiveram interpretações heterogêneas em muitos aspectos da forma decomo seria o mar interligado as relações humanas. É clara a necessidade de mudar o comportamento humano em relação ao maus hábitos. Ampliando este contexto, a todos osproblemas sócio-ambientais, no sentido de promover sob um modelo de desenvolvimento mais sustentável possível, com acompatibilização de práticas econômicas e conservacionistas, reflexos positivos evidentes junto à qualidade de vida de todos (Almeida eSimão, 2010).
Similar documents
View more...
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x